Orientação: Adjunto Arumã Mestre Ramalho

  • Downloads Lei do Trabalho de Mesa Evangélica

  • TRABALHOS DE MESA EVANGÉLICA 
    UNIFICAÇÃO DAS LEIS DO AMANHECER

    No dia 4/fev/2003, ocorreu o I Encontro Doutrinário dos Presidentes de Templos do Amanhecer, no qual o Trino Ajarã implantou a 1ª Etapa da Unificação das Leis do Amanhecer, com a matéria aprovada pelo Trino Araken. A reunião foi gravada em fitas de vídeo e documentada em ata, para registrar e comprovar a veracidade das informações. 

    Sobre MESA EVANGÉLICA ficou estabelecido: 

    I INTRODUÇÃO – 
    A Mesa Evangélica é um trabalho coletivo. Tem a finalidade de oferecer oportunidades aos nossos irmãos sofredores para receberem o ectoplasma da doutrina, a energia magnética animal, para que possam ser encaminhados aos mundos encantados de Deus Pai Todo Poderoso. 

    II MÉDIUNS – 
    Os médiuns no mínimo deverão estar emplacados e, tanto o Doutrinador como o Apará, além de ter feito a preparação, devem estar bem harmonizados e mediunizados. 

    III MONTAGEM DA MESA –
    O Comandante toca o sino para alertar da realização da próxima Mesa. 

    IV
     Os Faróis devem estar ocupados por Doutrinadores (não será facultada à Ninfa Sol sentar em nenhum dos Faróis). 


    A Mesa deverá ser montada, partindo da esquerda, em seguida a direita e finalmente a base. 

    VI
    A quantidade mínima para a formação da Mesa é de 7 (sete) Aparás até a quantidade máxima que a Mesa comportar, sempre em quantidade ímpar, mantendo um espaço razoável entre um Apará e outro. 

    VII
    Na montagem da Mesa, o Comandante deverá intercalar Ninfas e Ajanãs partindo do Farol Mestre, se possível. 

    VIII 
    Ainda na montagem da Mesa, o Comandante deve se preocupar com a quantidade de Ninfas Lua e Ajanãs prevendo o máximo de intercalações, pois quanto maior for a intercalação de Ninfas e Ajanãs partindo do Farol Mestre, maior será o equilíbrio da Mesa, contudo uma Mesa pode ser composta apenas de Ninfas Lua. 

    IX 
    Se o Comandante perceber que não tem a quantidade ímpar de Aparás, ele deverá deixar um de fora já que sob nenhuma hipótese um Apará deve ser movimentado após se sentar à Mesa muito menos retirado da mesma antes do seu encerramento. 


    Com a Mesa formada, a soma das duas laterais e da base deverá somar um número ímpar, não importando que em qualquer dos lados tenha número par. 

    XI COMANDO –
    Estando a Mesa formada, o Comandante faz uma breve harmonização, o Pai Nosso e a Chave de Abertura, dando início ao trabalho. 

    XII 
    O Comandante não deve, com a Mesa em funcionamento, pedir vibrações em benefício de espíritos encarnados. 

    XIII
    Durante todo o funcionamento da Mesa o Comandante deverá estar posicionado à esquerda do Farol Mestre e é recomendável que faça o Pai Nosso em intervalos de 5 minutos. 

    XIV
    O tempo de duração deste trabalho é de 15 a 30 minutos de incorporação. 

    XV
    Ao fazer a limpeza dos faróis, o Doutrinador deverá falar “Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo (3x). 

    XVI 
    Ainda com relação à limpeza dos Faróis, se já estiver dois ou mais Doutrinadores aguardando a sua vez, não há necessidade de se entrar na fila para fazer a limpeza. Pode-se passar direto, pois do outro lado, com certeza, estará um Apará incorporado necessitando de um atendimento.

    XVII
    Fazendo ou não a limpeza do Farol Mestre, o Doutrinador vira-se para a Presença Divina e faz a reverência. 

    XVIII ENCERRAMENTO =
    Para encerrar uma Mesa em funcionamento, o Comandante toca o sino e pede aos Doutrinadores que completem suas doutrinas e façam a elevação. 

    XIX
    Após o toque da campanhia não há mais necessidade de se fazer a limpeza dos faróis. 

    XX
    Após a desincorporação o Comandante pede aos Aparás que ainda estão sentindo irradiação que dêem passagem. 

    XXI
    Após todas as desincorporações, o Comandante encerra o trabalho com a Chave, falando ao final “... tenho por encerrado TEMPORARIAMENTE ...” 

    XXII
    Após o encerramento, solicita aos Aparás que se posicionem para receberem o Passe Magnético e pede aos Doutrinadores que apliquem o Passe. Alerta aos Aparás que ainda sintam necessidade de outro Passe, para que levantem a mão para que um outro Doutrinador possa aplicá-lo. 

    XXIII
    Todos passando bem, solicita a presença de 3 Doutrinadores para substituir os faróis. Primeiro substitui o farol mestre, depois o farol direito e logo após farol esquerdo. 

    XXIV
     Após a substituição dos faróis, agradece aos participantes anunciando que a Mesa está encerrada. 

    XXV
    Se houver Corrente Mestra, deverá haver revezamento dos faróis até o seu encerramento, entre uma Mesa e outra ou quando houver necessidade, desde que a Mesa não esteja funcionando. 

    XXVI
    No final do 1O intercâmbio, após o encerramento da última Mesa, o Comandante do Setor de Trabalho não encerra com a Chave. Apenas libera os Faróis sem a necessidade de aplicar o Passe Magnético. 

    XXVII
    No final do 2O intercâmbio, também após o encerramento da última Mesa, o Comandante libera os Faróis sem a necessidade de aplicar o Passe Magnético, porém encerra o Setor de Trabalho com a Chave. 

    XXVII OBSERVAÇÕES –
    O Comandante da Mesa no 1O intercâmbio também será o Comandante no 2O intercâmbio (abrindo e encerrando o trabalho). 

    XXIX
    O Doutrinador poderá participar de uma Mesa em andamento, após fazer a sua preparação. 

    XXX O Apará não deverá falar palavrões e nem dar murro na mesa. Se isso acontecer é por motivo de mal desenvolvimento ou desequilíbrio do mesmo. 

    XXXI
    Após a doutrina e elevação, se o Apará não desincorporar, o Doutrinador segue em frente e dá lugar a outro para fazer uma nova doutrina e elevação. 

    XXXII 
    O Doutrinador não deve estalar os dedos no ouvido do Apará nem dialogar com o sofredor. 

    XXXIII
    O Doutrinador não deve emitir mantras na hora da doutrina, nem ficar com o rosto próximo do Apará. 

    TRABALHO DE MESA EVANGÉLICA

    Aula com mestre caldeiras mesa Evangélica

    TRABALHO DE MESA EVANGÉLICA

    Por Bene Pedroso

    >